Marcadores

quarta-feira, novembro 02, 2011

Ms

Expulsei-me de mim mesma.
Estava constantemente amedrontada
Com as constantes almas que me circundavam
- querem meu sangue - latejei de medo.
Os fantasmas, almas, seja quais forem seus pronomes,
Gritavam meu nome.
Ignorei.
Ignorei como fiz com a vida,
Com minha sabedoria desenfreada e o respeito.
Por um instante, sinto meu coração desacelerar,
Sua carne quente e macia se endurecer abruptamente
Como fiz com os meus antigos amores.
Como fiz comigo mesma
Até me expulsar-me de mim mesma.