Marcadores

sexta-feira, janeiro 13, 2012

Não há mudança



As vezes me pergunto se não estou sendo cruel demais com os outros e comigo mesma. Sempre recebi tudo em dobro mas ainda acho um vazio tão imenso dentro de mim, que as vezes me pergunto se tenho mesmo um coração. Mil vezes prometi a Deus um esforço que eu sempre soube que nunca haveria de ter. Mas na verdade nunca sai do lugar, prefiro ser assim, lenta, pura, ríspida... e vazia. acho que sou uma garrafa, feita das melhores formas, de melhor qualidade, mas sem líquido por dentro. No fim seria uma garrafa sem utilidade, só pra fazer presença, mas nada além disso. Porém não mudaria meu rótulo, nem o eco que pertence no meu interior. Prefiro ficar prometendo a mim mesma uma solução e estar viva, do que estar morta e cheia por dentro do melhor líquido.

Lorreyne

Nenhum comentário:

Postar um comentário